11.04.2017
Desvios na Saúde começaram no primeiro mês de Sérgio Côrtes e Cabral,

A Saúde do Rio enfrentava sérias dificuldades em janeiro de 2007, quando Sérgio Cabral assumiu o Governo do Estado e convidou Sérgio Côrtes para a pasta. Mas Côrtes estava otimista. Em um jantar ainda naquele primeiro mês de governo, disse ao interlocutor que "financeiramente" o trabalho deles compensaria. Questionado por que, respondeu que já havia combinado com Cabral de receber 10% de vantagens indevidas de todas empresas contratadas pela Secretaria de Saúde.

Dividia a mesa com ele naquela ocasião Cesar Romero, ex-assessor jurídico do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e ex-subsecretário de Saúde, que se tornaria delator do esquema. As informações são sustentadas pelo Ministério Público Federal (MPF) na ação que conseguiu a prisão de Côrtes e também dos empresários Miguel Iskin e Gustavo Estellita.

"Sustenta [o MPF] que diversos crimes foram praticados no âmbito da Secretaria de Saúde desde o momento que o ex-governador Sérgio Cabral assumiu o Governo do Estado do Rio em 01.01.2017 e nomeou Sérgio Côrtes como seu Secretário de Saúde", diz trecho da decisão da 7ª Vara Federal Criminal, assinada pelo juiz Marcelo Bretas. fone g1

VOLTAR
Untitled Document